De moto para o Atacama – 11º DIA

QUINTA-FEIRA, 26/10/2017

Bom dia! Dia de voltarmos ao estilo “cão arrependido” de volta por onde viemos. Brincadeirinha, de volta para Antofagasta e ver no que dá.

Começamos subindo pela RN5, só que uns 300 km depois a rodovia se divide entre o acesso à RN 1 para seguir costeando o Pacífico e a continuação da RN5, que faz um desvio considerável até.

É uma questão de decidir qual caminho queríamos para ir até Antofagasta. Podemos dizer que ir pela Panamericana dá uns 30 km a mais do que ir reto pela RN1, aproximadamente. Escolhemos voltar novamente pela Panamericana. Pressa para quê?…

Sem novidades na estrada, uns 570 km depois, chegamos em Antofagasta.

Fomos direto para o Eile Hostel, o mesmo que pernoitamos, e, por sorte, tinha vaga no mesmo quarto, que estava vazio, ninguém se hospedou ali depois da turista americana. Mesmo valor, 20.000 pesos o pernoite, com café da manhã.

Pedimos informação sobre casas de câmbio naquela redondeza, pois, como explicamos antes, acabamos ficando no Chile por mais tempo do que o planejado e não tínhamos nada de peso chileno. Este hostel não aceitava dólar, por já ter tido problemas com notas falsas (informação útil para quem um dia quiser se hospedar ali). Nos indicaram uma casa de câmbio a poucas quadras dali, em uma das avenidas principais, a Av. Iquique. Trocamos 150 dólares por 94.000 pesos chilenos. Foi definitivamente o melhor câmbio até agora.

Desta vez fomos conhecer o Shopping Fallabella, que é um pouco mais longe do hotel, mas a caminhada compensa. Já faz um tempo que, nos restaurantes por onde passamos no Chile, vemos nos cardápios pratos “a lo pobre” e nunca perguntamos como eram. Decidimos descobrir por conta e pedimos um prato chamado “Cuarto de Pollo a lo Pobre”, ou seja, um quarto de frango assado com uma porção generosa de molho acebolado e batata frita pela bagatela de 10.000 pesos. Vejam a foto e tirem suas conclusões.

Isso aqui é ou não é comida de guerreiros e guerreiras da estrada? O resto é conversa.

Voltamos, satisfeitos e sonolentos, para o hostel descansar que no outro dia e dia de tentar a sorte em San Pedro de Atacama, pois ouvimos falar que é feriado no Chile, ou seja, vai ser uma disputa por hospedagem. Nos desejem sorte. Um abraço e pé na estrada!

 

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *